2015, 01.23 – 02.21 / on on distance, Heinz Peter Knes

on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes
on on distance, Heinz Peter Knes

Formada por fotografias realizadas entre 2010 e 2014, a exposição “on on distance” de Heinz Peter Knes traduz as vivências do artista neste período, constituindo uma espécie de síntese não só das suas pesquisas, mas também de instantes relacionados com a sua intimidade. É nesse cruzamento entre as esferas pública e privada, que este projecto, ainda em curso, se vai formando. É assim possível identificar uma geografia, um monumento, uma obra de arte em diálogo com momentos relacionados com um quotidiano distante do nosso olhar. E é desse confronto que nasce a percepção dessa distância referida em título: a distância que nos separa é a mesma que nos une. Este é também um projecto com uma dimensão política relevante, trazendo para um primeiro plano questões relacionadas com a persistência de formas de alienação – religiosa, tecnológica, social – na sociedade contemporânea.

O corpo de trabalhos revelado encontra-se organizado em 26 categorias, que se inspiram vagamente na “lei da boa vizinhança” usada por Aby Warburg na sua biblioteca. Tal como fazia o historiador alemão com os livros que ia colocando nas estantes, as fotografias foram sendo escolhidas segundo a potencialidade de se relacionarem entre si, criando-se assim um sistema de correpondências aberto. O resultado é uma nova série de obras que sublinha uma das condições da contemporaneidade, aquela que é vivida em permanente trânsito. É essa viagem infinita que nos chega através de imagens que nos mostram uma mão, uma paisagem, uma pintura carcomida pelo tempo, brincadeiras de crianças ou um cemitério em Marrocos.

A exposição “on on distance” antecedeu igualmente a publicação do livro “on distance”, de Heinz Peter Knes, com design de Manuel Raeder e que foi lançado em Maio 2015, no âmbito da participação de Danh Võ enquanto representante da Dinamarca na 56a edição da Bienal de Veneza.

Por ocasião da mostra foi ainda apresentada uma edição de artista, produzida pelo Sismógrafo e com tiragem limitada, composta manualmente com tipos móveis.

Exposição com o apoio do Goethe-Institut Portugal

On January 23rd, Sismógrafo opened the exhibition “on on distance” by Heinz Peter Knes. Comprised of photographs produced between 2010 and 2014, the show translates the artist’s experiences during this period, compiling a sort of summary not only of his research, but of instances related to his intimacy. It is in this intersection between the public and private sphere that this project, still under development, gains form. Through this it is possible to identify a geography, a monument, a work of art in dialogue with moments related with an everyday that our gaze is distant from. And it is within this comfort that the perception of that distance, referenced in the title, is born: the distance that separates is the same one that unites us. Furthermore this is a project with a relevant political dimension, bringing to front questions related with the persistence of alienation forms – religious, technological, social – in contemporary society.

The body of works revealed is found organised in 26 categories, which are loosely inspired in the 'law of good neighbour' used by Aby Warburg in his library. Just as the german historian did with the books that he would deposit on the shelves, the photographs were also gradually ordered according to the potential of internal relation, creating in the way a system of open correspondence. The result is a series of new works underlining one of the conditions of contemporaneity, that of living in permanent transition. That infinite travel that arrives us through images showing us a hand, a landscape, one painting rotted by time, a child play or a graveyard in Morocco.

The exhibition “on on distance” also preceded the publication of the book “on distance”, by Heinz Peter Knes, designed by Manuel Raeder, that was launched at May 2015, in the ambit of Danh Võ’s participation as Denmark’s representative on the 56th edition of the Venice Biennial.

In the context of the exhibition an artist publication was also presented, produced by Sismógrafo in a limited letterpress edition.

Exhibition with the support of Goethe-Institut Portugal

previousnext