2017, 05.26 sexta/friday 22:00
/ PARADISE CITY, Augusto Alves da Silva

Brevemente/Soon

PARADISE CITY, Augusto Alves da Silva

Três fotografias: um tríptico. "Paradise City", de Augusto Alves da Silva (Lisboa, 1963). Corpo e paisagem, terra e céu, a cidade e os seus quartos. Entre o espaço público e a vida privada, uma exposição que narra uma deriva através de um território povoado de solidões. Aqui, o humano procura uma saída: a mais difícil das tarefas num tempo que tarda a reencontrar-se. No fim, as imagens unem-se numa espécie de testemunho de uma época onde a secura, seja ela afectiva, seja ela meteorológica, avança irremediavelmente.

Augusto Alves da Silva (Lisboa, em 1963) Vive e trabalha em Tremez, Portugal. Estudou no London College of Printing (B.A. Hons. Photography) e na Slade School of Fine Art (M.F.A. Media), com duas bolsas da Fundação Calouste Gulbenkian. Foi nomeado para o Prémio União Latina em 1997. Em 1999, foi um dos finalistas do Prémio de Fotografia do Citibank Private Bank e, em 2006, do Prémio BES Photo. Começou a expôr na década de 1990 e das suas exposições individuais destacam-se as realizadas no MUSAC – Museo Arte Contemporânea Castilla y León; no Espaço BES Arte & Finança, em Lisboa; na Galeria Pedro Oliveira, no Porto; no Museu de Serralves, no Porto; na Galeria Fonseca Macedo, em Ponta Delgada; no espaço Chiado 8, em Lisboa; no Centro Português de Fotografia, no Porto; no Museu do Chiado, em Lisboa; no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid; na Chisenhale Gallery, em Londres; na Culturgest, entre outras instituições e galerias. Tem participado em várias exposições colectivas em reconhecidas instituições como o Centro de Artes Visuais de Coimbra; o Cultural de Belém, em Lisboa; a Fundação Carmona e Costa, em Lisboa; o Museu de Serralves, no Porto; entre outras. As suas obras estão representadas nas colecções Banco Espírito Santo, Centro Português de Fotografia, FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Fundação PLMJ, Fundacio Foto Colectania, Helga de Alvear, MEIAC – Museo Extremeno e Iberoamericano de Arte Contemporâneo, Museu de Serralves, entre outras.

Three photographs: a triptych. "Paradise City", by Augusto Alves da Silva (Lisbon, 1963). Body and landscape, land and sky, the city and its rooms. Between public space and private life, an exhibition that narrates a drift through a territory populated by solitudes. Here, the human seeks a way out: the most difficult of tasks in a time that is slow to reencounter. In the end, the images unite in a kind of testimony of a time where the dryness, whether it is affective or meteorological, progresses irredeemably.

Augusto Alves da Silva (Lisbon, 1963) lives and Works in Tremez, Portugal. He studied at London College of Printing (B.A. Hons. Photography) and at Slade School of Fine Art (M.F.A. Media), with two grants awarded by Calouste Gulbenkian Foundation. In 1996 and 1998, Augusto Alves da Silva was nominated for the União Latina award. In 1999 he was one of the finalists for the photography award of Citibank Private Bank and, in 2006, for the BES Photo award. He started to exhibit his work in the decade of 1990. He has held a number of individual exhibitions in several institutions, including at: MUSAC - Museo Arte Contemporânea Castilla y León (ES); BES Arte & Finança, Lisbon (PT); Pedro Oliveira Gallery, Porto (PT); Museu de Serralves, Porto (PT); Fonseca Macedo Gallery, Ponta Delgada (PT); Chiado 8, Lisbon (PT); Centro Português de Fotografia, Porto (PT); Museu do Chiado, Lisboa (PT); Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid (ES); Chisenhale Gallery, London (GB); Culturgest (PT); among others institutions and art galleries. His work is represented at the following collections: Banco Espírito Santo (PT), Centro Português de Fotografia (PT), FLAD – Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (PT), PLMJ Fundation (PT), Fundación Foto Colectania (SP), Helga de Alvear Gallery (SP), MEIAC - Museo Extremeno e Iberoamericano de Arte Contemporâneo (SP), Museu de Serralves (PT), etc.

previousnext